Em 1877, os irmãos Leitão abriram uma luxuosa filial em Lisboa e empreenderam o ambicioso projecto artístico de restaurar as grandes tradições da ourivesaria e joalharia, inspiradas nas raízes populares portuguesas. Fizeram-no dentro do espírito historicista que guiou as criações das oficinas de ourives nacionais de então contribuindo, assim, de forma determinante para a renovação operada no campo da ourivesaria na segunda metade do século XIX. 
Em 1887, o rei D. Luís distinguiu a Leitão & Irmão com a honrosa nomeação de “Joalheiros da Coroa”, intensificando-se a partir de então uma relação que já vinha sendo cultivada de parte a parte. Entre os seus mais importantes clientes a casa Leitão contava ainda com membros da aristocracia e da alta burguesia comercial e industrial.
A rainha D. Maria Pia, porventura mais do que o rei D. Luís, foi uma das suas mais entusiastas e fiéis clientes. Foi também à casa Leitão & Irmão que os monarcas recorreram com frequência para presentear familiares, amigos e personalidades. D. Maria Pia, de reconhecido gosto pelas artes e carácter empreendedor teve um papel determinante na aquisição de inúmeros objectos utilitários e decorativos, em prata e ouro, que enriqueceram significativamente o Paço da Ajuda. São, na sua maioria, objectos de grande requinte e sobriedade aqui apresentados, pela primeira vez, numa visão de conjunto, reveladores da preferência da soberana pela estética do neo-rocaille.

In 1877 the Leitão brothers opened a luxury branch in Lisbon and undertook the ambitious artistic project to reinstate the great traditions of goldsmithery and jewellery, taking some inspiration from Portuguese popular roots. In doing so they were following the historicist spirit that presided over the creations of national goldsmith workshops of that time, thus decisively contributing to the renovation accomplished in the field of goldsmithery in the second half of the 19th century.
In 1887 King Luís distinguished the Leitão business with the honourable appointment as «Crown Jewellers», thus tightening a relationship that was already nurtured by both sides. The aristocracy and the high commercial and industrial bourgeoisie were also among Leitão’s customers.
Queen Maria Pia was one of its most enthusiastic and loyal customers, perhaps more so than King Luís himself. Monarchs also resorted to Leitão & Irmão to frequently offer gifts to family, friends and eminent figures. An acknowledged lover of arts and an enterprising nature, Maria Pia played a determinant role in the purchase of countless silver and gold utilitarian and decorative objects which significantly enriched the Palácio da Ajuda. Mostly pieces of great refinement and sobriety are on display here; while offering for the first time an overall view presentation, they give evidence about the sovereign’s preference for the ‘neo rocaille’ style.

Autora:
Teresa Maranhas
Conservadora das Colecções de Ourivesaria e Joalharia do PNA.

2009, 12 pp., fotografias a cores.
Importe o artigo:
A colecao da casa leitao e irmao.pdf